Nota editorial

Os editores


DADOS inicia o ano de 2019 com algumas novidades, particularmente alvissareiras num momento tão delicado para a editoração científica. Os recentes cortes no financiamento da ciência em geral e das publicações científicas em particular se fizeram sentir de diversas formas em nossa rotina editorial. Somou-se a isso a crise vivida pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) nos últimos anos, com impactos drásticos na remuneração de nossa equipe e no funcionamento cotidiano da revista. Porém, apesar de todos esses contratempos, DADOS conseguiu nos últimos meses reestruturar seu fluxo de artigos e renovar sua equipe editorial, sem descuidar, contudo, das contribuições históricas de nossos colaboradores. Neste contexto, a UERJ também resiste e caminha para comemorar seus 70 anos de existência um ano depois do aniversário de 50 anos da Pós-Graduação do IESP-UERJ (originalmente fundada no antigo IUPERJ) e quatro anos depois do cinquentenário da própria revista.

DADOS acompanha essa renovação apresentando algumas novidades, a primeira delas de expediente. A partir deste ano, a revista contará com um novo editor-chefe, o professor Luiz Augusto Campos. Ele sucede Carlos Antônio Costa Ribeiro, que por sua vez sucedeu Breno Bringel no posto. Junto com as mudanças na editoria está a incorporação na rotina da revista de quatro editores associados (Letícia Pinheiro, Fernando Guarnieri, Breno Bringel e Carlos Antônio Costa Ribeiro) que se somam ao nosso editor emérito, Charles Pessanha, no trabalho de administração do fluxo.

Ademais, temos a felicidade de comunicar o lançamento do site da revista (http://dados.iesp.uerj.br), onde será albergada toda sua coleção, incluindo os artigos publicados entre 1966 e 1996, até então indisponíveis em formato digital. Muitos desses textos tiveram e continuam tendo impactos acadêmicos e políticos até os dias atuais, daí a relevância dessa empreitada. O site também publicará conteúdos complementares aos artigos acadêmicos do periódico, como press releases, entrevistas, ensaios e outros debates. Tudo isso será divulgado, como de costume, em nossas múltiplas redes sociais (Facebook, Twitter, Academia etc.), igualmente reativadas.

Outra novidade é a adesão ao sistema de publicação contínua, em que os artigos serão disponibilizados em nosso site e no Scielo à medida que forem sendo aprovados e revisados pelo nosso conselho editorial. O fascículo numerado permanece existindo como forma de organização final, embora sua composição passe a ser paulatina no decorrer do ano. O sistema proporcionará maior agilidade na publicação dos manuscritos eventualmente aprovados.

As instruções aos autores e nosso formulário de parecer também foram parcialmente revistos, deixando mais claras as orientações editoriais da revista sem romper com sua tradição multitemática. A indexação, busca e posterior localização dos artigos também se beneficiará de dois novos instrumentos. Todos os autores terão de possuir registro no Open Researcher and Contributor ID (Orcid), uma plataforma internacional de currículos acadêmicos. Além do já tradicional Digital Object Identification (DOI), adotamos também o Electronic Location Identification (e-location id), que ajudará na identificação dos artigos dentro do fascículo.

Tudo isso contribuirá para agilizar a avaliação, publicação e divulgação do conteúdo da revista. De todo modo, não é possível deixar de mencionar um agradecimento especial a todos os nossos colaboradores, sobretudo autores/autoras e pareceristas, que permaneceram contribuindo com DADOS mesmo nos momentos mais difíceis. Somados ao corpo de editores, assistentes e conselho editorial, todos formamos uma comunidade reunida em torno de uma empreitada de mais de 50 anos, caracterizada pela capacidade de superar as mais severas crises e zelar por este bem comum das ciências sociais.

Os editores