Instruções

Objetivos e política editorial

1. Dados aceita manuscritos inéditos no campo das Ciências Sociais que contribuam para a inovação teórica, metodológica e/ou análise empírica. Fomentamos o pluralismo temático e conceitual das contribuições, que devem ser de interesse acadêmico e social, escritas de forma inteligível ao leitor culto. Três são os formatos aceitos para avaliação da revista:

1.1. Artigos originais: manuscritos inéditos com resultados de pesquisa acadêmica sistemática e que apresenta clara contribuição teórica, empírica ou metodológica à bibliografia especializada atual sobre seu tema. Dados não aceita ensaios livres, análises de conjuntura, resenhas, entrevistas, balanços bibliográficos, relatos de caso ou traduções. Dados não abre call for papers ou chamadas especiais para publicação, pois trabalha com sistema de submissões em fluxo contínuo. Todos os artigos são submetidos à avaliação de pareceristas anônimos do conselho editorial e/ou externos. Os artigos originais devem ter entre 4.000 e 14.000 palavras (já incluindo as referências bibliográficas, tabelas e notas), não podem ter sido submetidos nem publicados em outros periódicos acadêmicos, livros ou coletâneas. Artigos oriundos de servidores de preprints ou publicados apenas em anais de congresso são bem-vindos.

1.2. Notas técnicas: textos que visem disponibilizar à comunidade acadêmica códigos, pacotes e bases de dados inovadores, com o objetivo de descrever e discutir sua implementação. As notas técnicas podem versar sobre as bases de dados e códigos de textos já publicados na revista ou sobre pesquisas em andamento, cujos resultados ainda não foram publicados. Elas devem apresentar o escopo dos códigos, pacotes e modelos ou conceitos subjacentes, de forma que leitores com conhecimento de estatística possam entender sua operação. O fluxo de trabalho de análise geral deve ser ilustrado por um estudo de caso não trivial e esclarecedor. Não serão aceitas notas sem acréscimos relevantes para o conhecimento acadêmico, que apenas retomem elementos já publicados, disponibilizados previamente ou amplamente conhecidos pela comunidade especializada. A reprodutibilidade total é obrigatória e o código-fonte é publicado junto com a nota. A avaliação dessas notas técnicas seguirá o trâmite normal de um artigo, sendo avaliadas por pareceristas do conselho editorial e/ou externos. As notas técnicas devem ter até 6.000 palavras (já incluindo as referências bibliográficas, tabelas e notas).

1.3. Comentários críticos (réplicas): textos que formulam avaliações críticas de manuscritos publicados pela própria revista nos últimos cinco anos, nos quais resultados de pesquisa são debatidas de modo qualificado e cortês com o objetivo único de fazer avançar um determinado debate acadêmico. As críticas devem ser estritamente acadêmicas e se ater ao conteúdo dos textos. Comentários que contenham ironias, argumentos ad hominem ou qualquer outro desqualificativo pessoal serão sumariamente rejeitados, bem como comentários concentrados em apenas elogiar o manuscrito analisado. Autores/as de artigos que eventualmente forem objeto de algum comentário crítico publicado na revista terão o direito a uma única tréplica, sem possibilidade de submissão de mais reações. A avaliação desses comentários críticos seguirá o trâmite normal de um artigo, sendo avaliados por pareceristas do conselho editorial e/ou externos. Os comentários críticos e tréplicas devem ter até 6.000 palavras (já incluindo as referências bibliográficas, tabelas e notas).

2. A submissão de um artigo a  Dados implica que o mesmo não tenha sido publicado total ou parcialmente como parte de livros ou em revistas e que não tenha sido enviado simultaneamente a outro periódico. Manuscritos publicados em anais de eventos científicos, em versões preliminares e working papers, ou em plataformas de preprint são considerados inéditos.

3. Dados recebe manuscritos que estejam necessariamente conectados a debates e referências bibliográficas mais amplas da Sociologia, Ciência Política e Relações Internacionais. Não serão aceitos para a submissão artigos sobre temas específicos de realidades nacionais ou locais particulares, desconectados de debates mais gerais.

4. Os manuscritos submetidos deverão necessariamente se concentrar em alguns dos temais a seguir: 1) Democracia, eleições, partidos políticos, instituições políticas; 2) Economia, mercado, trabalho, desenvolvimento e indústria; 3) Teoria social e pensamento social; 4) Teoria política e pensamento político; 5) Desigualdades, estratificação, classes e educação; 6) Ação coletiva, movimentos sociais e sindicatos; 7) Políticas públicas, capacidades estatais e gestão; 8) Relações internacionais, política comparada e política externa; 9) Raça, gênero, migração e identidades sociais; 10) Comunicação, mídia e redes sociais; 11) Cultura; 12) Cidade e questão urbana; 13) Violência, crime, justiça e direitos humanos; 14) Elites políticas, judiciárias e burocráticas; 15) Ciência e cienciometria; 16) Clima, meio ambiente e ruralidade.

5. Os manuscritos podem ser submetidos em português, espanhol, inglês e francês, porém os textos somente serão publicados em português, espanhol e em inglês. Neste último caso, dependendo do teor do artigo e da decisão final do Conselho de Redação, a publicação poderá ser feita simultaneamente em português e em inglês ou em espanhol e em inglês.

6. A publicação de artigos está condicionada a pareceres de membros dos Comitês Científicos da revista, que são de três tipos: Conselho de Redação (inclui os editores da revista e os editores associados, que se reúnem periodicamente para a tomada de decisões, contribuindo de forma ativa na gestão editorial e no fluxo de avaliação); Conselho Editorial (constituído por pesquisadores líderes em suas áreas no Brasil e no exterior, com a função de assessorar o Conselho de Redação) e Conselho Consultivo (formado por avaliadores ad hoc brasileiros e estrangeiros de reconhecida expertise, é responsável por apoiar os editores na tomada de decisão sobre os artigos recebidos, contribuindo assim para a qualidade e o controle científico da revista).

7. Os artigos recebidos passam por um triplo filtro de avaliação: o primeiro filtro, realizado pelo Editor-chefe com o apoio da secretaria do periódico, é de caráter estritamente formal e avalia se o texto segue as normas editoriais e de apresentação (vide abaixo). O segundo filtro, realizado pelos Editores Associados, com apoio do Conselho Editorial, decide se o artigo se adequa ou não ao escopo de Dados. Em caso negativo, elabora uma carta explicando os motivos da rejeição. Em caso positivo, indica nomes de avaliadores ad hoc, quase sempre doutores e com reconhecida expertise no tema. Finalmente, o terceiro filtro é feito pelo Conselho Consultivo que, a partir de avaliações anônimas, auxilia o Editor-chefe na tomada da decisão final, comunicada mediante uma carta decisória.

8. A carta decisória enviada pelo Editor-chefe pode: i) aceitar o artigo para publicação, sem ou com alterações neste último caso, é necessário que os/as autores/as respondam as demandas dos pareceristas e reapresente o documento; ii) sugerir que o texto seja ressubmetido para avaliação, sempre que feitas revisões substantivas; ou iii) negar a publicação. Caso o texto seja submetido para nova avaliação, a Editoria de Dados processará, no máximo, até duas reavaliações antes de tomar uma decisão definitiva.

9.Tanto no caso de reapresentação, quanto nas ressubmissões, é imprescindível que os/as autores/as sigam as regras de formatação e envio da revista. Além disso, os/as autores/as precisam sinalizar as modificações realizadas no corpo do artigo, bem como inserir na carta de apresentação (cover letter) respostas detalhadas ao editor e anexar um documento anônimo com respostas aos(às) pareceristas.

10. O tempo aproximado para uma decisão final é de 2 meses no caso de artigos que sejam rejeitados no primeiro ou segundo filtro e de aproximadamente 6 meses no caso dos artigos enviados para pareceristas ad hoc. Este tempo médio é calculado a partir das datas de submissão e de decisão final quanto à publicação. No caso dos artigos aprovados, para garantir o menor prazo possível entre aprovação e publicação, Dados adotará o formato de publicação contínua.

11. Os artigos aprovados serão enviados para revisão formal e ortográfica (copy-desk) e devolvidos aos autores/as para aceite das eventuais sugestões de alteração. Após a aprovação do autor, o texto seguirá para diagramação e composição final. Neste momento, não serão admitidos acréscimos ou modificações, exceto em casos excepcionais. Os editores reservam-se o direito de efetuar alterações ou cortes nos trabalhos recebidos para adequá-los às normas da revista, respeitando o conteúdo original e o estilo dos/as autores/as, que sempre serão consultados. Artigos aceitos que permanecerem disponíveis em servidores preprint devem indicar o link da versão publicada em Dados.

12. Os dados (que deverão estar sempre disponíveis para eventual consulta), análises e opiniões emitidas nos artigos são de responsabilidade dos autores/as.

13. Por se basear no sistema de revisão cega por pares, os/as pareceristas convidados devem julgar os manuscritos tendo como único interesse o avanço do conhecimento científico. Com o objetivo de fomentar o debate acadêmico qualificado, Dados se reserva a liberdade de compartilhar as avaliações de um dado manuscrito com os/as demais pareceristas convidados/as. Os pareceres poderão ser eventualmente publicizados, desde que haja interesse do conselho editorial da revista e anuência dos/as autores/as e pareceristas. Quando houver qualquer suspeita de conflitos de interesse que possa prejudicar a objetividade e imparcialidade de sua deliberação, recomenda-se que os envolvidos comuniquem-no à equipe editorial.

14. Manuscritos previamente disponibilizados em servidores preprint deverão informar a localização virtual do mesmo (link, DOI etc.) e serão submetidos à revisão cega, em que os pareceristas tomam conhecimento da identidade do/a autor/a. Manuscritos não disponibilizados em servidores preprint continuam sendo avaliados no sistema duplo-cego, no qual nem pareceristas, nem autores/as conhecem suas identidades. A lista completa de servidores preprints aceitos pelo periódico pode ser consultada em http://dados.iesp.uerj.br/preprints

15. Dados adota os princípios contidos nos Códigos de Ética do Committee on Publication Ethics (COPE), do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo.

Não há taxa para submissão e avaliação de artigos.

Normas editoriais e de apresentação de manuscritos

1. Os manuscritos devem ser submetidos exclusivamente pela plataforma Scholar One Manuscripts, disponível na página de Dados e no Scielo. Também é possível acessar a plataforma diretamente pelo endereço: https://mc04.manuscriptcentral.com/dados-scielo. No processo de submissão, o/a autor/a deve seguir todos os passos indicados nas instruções da plataforma on-line.

2. Em caso de manuscrito de autoria coletiva, o texto deverá ser submetido pelo primeiro/a autor/a (ou autor/a de contato). Em caso de aprovação, todos os autores/as deverão mostrar sua conformidade com o manuscrito a ser publicado. Todos os autores devem enviar seus números de registro no Open Researcher and Contributor ID (ORCID). Quando houver mais de um/a autor/a, deve-se indicar as contribuições específicas na construção da pesquisa e do manuscrito de cada um. O mesmo autor/a não poderá submeter mais de um artigo, mesmo que em coautoria, de forma simultânea a Dados. A revista aceita submissões com no máximo cinco autores.

3. É exigida a titulação mínima de mestre de pelo menos um dos autores/as.

4. Os manuscritos devem ser submetidos em fonte Times New Roman, tamanho 12, com espaço 1,5 e parágrafo justificado. O resumo, de até 150 palavras, deve ser redigido em linguagem clara e apresentado em no mínimo dois idiomas (original do artigo acrescido de uma segunda língua). Caso aprovado, Dados será responsável pela versão dos resumos nas demais línguas de praxe. Os resumos também devem explicitar claramente os propósitos, métodos, conclusões e contribuições do trabalho para a bibliografia especializada, além de 5 palavras-chave, separadas por ponto-e-vírgula. Não serão aceitos para a submissão artigos com resumos fora desses padrões.

5. Para a submissão on-line devem ser anexados dois arquivos em formato .rtf, .doc ou .docx:

 

6. Os gráficos e tabelas devem ser acompanhados das respectivas planilhas que os originaram, em arquivo separado e editável, com indicação das unidades em que se expressam os valores e as fontes correspondentes. Imagens em alta definição não devem ser incluídas dentro do documento principal, podendo ser anexadas separadamente. Todos os gráficos e tabelas devem conter títulos e fontes. Em caso de elaboração própria, ainda assim citar qual a base ou fonte utilizada para a elaboração.

7. Dúvidas sobre o processo de submissão ou avaliação de manuscritos devem ser encaminhadas ao e-mail institucional de Dadosdados@iesp.uerj.br

8. As notas de rodapé devem ser de natureza substantiva, restringindo-se a comentários adicionais ao texto, além de estar numeradas e dispostas ao final do artigo. Não serão aceitos textos  que totalizem mais de 700 palavras em notas de rodapé.

9. Referências bibliográficas, quando necessárias, devem aparecer no próprio texto, com a menção do último sobrenome do autor/a acompanhado do ano da publicação e do número da página, quando necessário (Lynch, 2014:97). Citações literais de textos de outros autores/as superiores a três linhas devem aparecer em parágrafo separado, com recuo de quatro pontos.

10. No final do artigo, devem ser listadas todas as referências bibliográficas citadas no texto, Contudo, para os casos de autocitação, que devem ser evitados, é imprescindível que o nome dos autores/as seja omitido para assegurar a avaliação cega por pares. Nesses casos a citação deve ser (Autor, ano). As referências devem ser apresentadas ao final do texto em ordem alfabética, observando-se os seguintes critérios:

Para livro

Exemplo: LYNCH, Christian. (2014), Da Monarquia à Oligarquia: História Institucional e Pensamento Político Brasileiro. São Paulo, Alameda.

Para capítulo de livro

Exemplo: WAGNER, Peter. (2015), “Modernity and Critique: Elements of a World Sociology”, in B. Bringel e J.M. Domingues (eds.), Global Modernity and Social Contestation. London, Sage, pp. 21-35.

Para artigo em revista

Exemplo: ABERS, Rebecca; SERAFIM, Lizandra; TATAGIBA, Luciana. (2014), “Repertórios de Interação Estado-Sociedade em um Estado Heterogêneo: a Experiência na Era Lula”. Dados, vol. 57, no 2, pp. 325-357.

Para citação de artigo eletrônico

Exemplo: VILLAS BÔAS, Glaucia. “A Recepção Controversa de Max Weber no Brasil (1940-1980)”. Dados [online]. 2014, vol. 57, no 1 [dia-mês-ano da consulta], pp. 5-33. Disponível em http://www.scielo.br/dados. ISSN 0011-5258 [páginas e ISSN facultativos].

Teses e dissertações

Exemplo: FLORENCIO DE AGUIAR, Thais. (2013), Uma Genealogia dos Princípios de Demofilia em Concepções Utópicas de Democratização. Tese (Doutorado em Ciência Política), Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

 

Normas editoriais de apresentação de bancos de dados

1. Artigos aprovados e baseados em dados quantitativos e qualitativos disponibilizáveis ao público devem ser acompanhados de seus respectivos bancos de dados consolidados.

2. Caso o banco utilizado pertença a terceiros, é possível disponibilizá-lo com um link de acesso público ao arquivo original.

3. Os microdados que se referirem a sujeitos humanos devem ser completamente anonimizados, protegendo a confidencialidade das informações.

4. Para bancos de dados quantitativos, é necessário:

4.1. O envio dos dicionários de códigos (scripts, algoritmos etc.), quando houver, com a descrição pormenorizada das variáveis presentes, e o arquivo de códigos utilizados para replicação completa de gráficos, tabelas e análises.

4.2. Caso o banco tenha sido agregado ou transformado, as etapas para tal processamento devem também ser explicitadas a partir do banco original.

4.3. Os bancos de dados e os códigos devem ser fornecidos em formato que possibilite o acesso e replicação em pelo menos uma das principais ferramentas estatísticas, como R, Python, SPSS, Stata e Excel.

4.4. O código para a replicação deve ser extensivamente comentado, de maneira clara e objetiva.

4.5. Os bancos e códigos serão disponibilizados na página da revista no portal Dataverse (https://dataverse.harvard.edu/dataverse/revistadados) ou similar.

5. Caso não tenha sido utilizado software estatístico que permita a replicação por meio de códigos, os autores/as devem fornecer todas as etapas realizadas para o desenvolvimento da análise, permitindo assim a replicação.

6. No caso de artigos baseados em surveys, é necessário também fornecer o questionário utilizado na pesquisa.

7. Para bancos de dados qualitativos, recomenda-se:

7.1. No caso de artigos baseados em entrevistas em profundidade, fornecer também a transcrição integral das mesmas, excetuando-se informações sigilosas ou que possam prejudicar a eventual necessidade de anonimato do(a) entrevistado(a).

7.2. No caso de artigos baseados em documentos históricos digitalizados, fornecer as digitalizações em resolução legível e adequadamente identificadas ou os localizadores de suas fontes virtuais.

7.3. No caso de artigos baseados em análises de textos e/ou documentos digitais, fornecer as digitalizações em resolução legível e adequadamente identificadas ou os localizadores de suas fontes virtuais.

8. Devem ser fornecidos pelos autores/as todo e qualquer material adicional que seja relevante para a replicação do artigo.

9. Caso algum(ns) dos requisitos acima não possa(m) ser atendido(s), os autores/as devem fornecer justificativa razoável para tal, a qual será analisada pela editoria de Dados.

10. Incentivamos autores e autoras que porventura já tenham publicado anteriormente em Dados no passado a disponibilizar seus bancos de dados.