Artigo



Dados vol. 68 n. 1 Rio de Janeiro 2024-03-01 2024

A Dimensão Partidária-Eleitoral do Programa Minha Casa Minha Vida

Sergio Simoni Junior; Edney Cielici Dias

Resumo

O conhecimento sobre a relação entre políticas públicas, partidos e voto para presidente no Brasil está fortemente concentrado em análises de programas de transferência de renda, o que limita a compreensão sobre como diferentes aspectos do desenho e implementação das políticas se relacionam com o jogo partidário-eleitoral. Neste artigo, por meio de regressões lineares aplicadas a todos os municípios brasileiros, analisamos a dinâmica eleitoral da política habitacional Programa Minha Casa Minha Vida, considerando desde sua criação até as eleições de 2014, com resultados detalhados por modalidades, fases de implementação e aderência ao deficit habitacional. As estimativas mostram que cidades governadas por partidos pertencentes à coalizão do governo federal não receberam mais unidades habitacionais, à exceção da modalidade direcionada para o eleitorado mais pobre. Além disso, o retorno eleitoral obtido pelo PT foi positivo quando a implementação do programa esteve relacionada com o deficit habitacional, particularmente em 2010.

Palavras-chave: Minha Casa Minha Vida; eleições; PT; políticas públicas; Programa Bolsa Família

DOI: .1590/dados.2025.68.1.344

Texto completo

A Dimensão Partidária-Eleitoral do Programa Minha Casa Minha Vida